Recorta e cola, essa pesquisa, cola?!

Por Juan Pantoja 27/09/2016 - 00:17 hs
Recorta e cola, essa pesquisa, cola?!
É possível haver manipulação nas pesquisas?
As pesquisas eleitorais são uma cortina de fumaça para disfarçar o jogo de cartas marcadas que é as eleições. Aliás, tudo se resolver na urna, não é?!

Pesquisa eleitoral, todos estamos cansados de ouvir, falar e insinuar que são uma farsa. Bom, isso quando se começa na teoria e se encerra na prática, porque, a pesquisa ainda serve de objeto manipulatório para que muitos eleitores, indecisos, possam votar no candidato que está a frente. Pois, ainda no século 21, ano de 2016 e após o ''Brasil Acordar'', muitos eleitores ainda vão pelo que está a frente, porque segundo eles, não querem perder o voto, votando em alguém que não tenha chances de ganhar, entretanto, esse tipo de eleitor, assim como e eleitor de asfalto, isso, o eleitor de asfalto, sabe?! Aquele que vai votar e aleatoriamente pega o primeiro santinho que vê na rua e vota no cara, sem nem saber de onde veio, o que faz e o que pretende fazer.

Pela felicidade de raças humanas pensantes, este tipo de eleitor está abaixando cada vez mais.

No entanto, ainda ocorre esse jogo político de farsa em pesquisa eleitoral, ainda mais quando se trata de vereador, cargo mais difícil para se concorrer.

Nesta semana, saiu uma nova pesquisa eleitoral. Confira:



Reparou? Pois bem! O nome do candidato Marcio Oliveira aparece repetidamente na posição 6° e na posição 49°. Fora que, existe candidatos que estão com a sigla de partidos erradas.

Temos outra, na qual não tivemos acesso, que aparece nomes, mais uma vez, repetiros, e até nomes de pessoas que nem concorrendo estão. Como Ivan Rocha - apresentador do programa Boa Noite Capital.

Candidatos postam em suas redes sociais, que estão felizes e satisfeitos com suas posições em relação ao resultado da pesquisa. Bom, como cidadão, eles deviam e estar preocupados em ouvir a população e buscar melhorias.

Confiar em pesquisa, atualmente, é como acreditar que candidato preso pela PF foi injustiçado e blá blá blá. Então, faltando menos de uma semana para as eleições, que venha dia 2, a verdade irá aparecer.

“Quando há indecisão, a pesquisa pode variar, dando a sensação de que o eleitor está fazendo um ‘olé’ a cada dia”, afirma Elis Radmann.

O que muita gente se pergunta é se os institutos de pesquisa teriam a possibilidade de manipular o resultado para eleger o candidato A ou B. Arais é direto ao dizer que “a manipulação de resultados existe. Cabe à Justiça apurar quais institutos se prestam a esse tipo de serviço e puni-los.”