Depois de vaias e críticas, Doria diz que pagará cachê e tinta a grafiteiros

26/01/2017 - 12:56 hs

ARTUR RODRIGUES SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois de receber críticas de artistas urbanos e de ser vaiado em evento no aniversário de São Paulo, o prefeito João Doria (PSDB) lançou nesta quinta-feira (26) um projeto que prevê remunerar grafiteiros e pagar suas tintas, como parte de um museu a céu aberto espalhado pela cidade. O programa começará pela região do Baixo Augusta, no centro da capital, e será reeditado a cada três meses em um bairro diferente.

A prefeitura pretende conversar com os proprietários dos imóveis particulares -apenas os que concordarem participarão do projeto. "Como serão várias áreas da cidade, creio que teremos oportunidade de abrigar vários desses artistas, de maneira escalonada", disse Doria. O programa já estava previsto, mas o lançamento foi antecipado devido à polêmica envolvendo o assunto nas últimas semanas, segundo o secretário municipal de Cultura, André Sturm. "A gente já tinha isso desde dezembro e iria anunciar em março, mas com o grafite tendo se tornado assunto tão importante a gente resolveu antecipar", disse Sturm.

Prevista para março, a primeira edição deve ter cerca de 150 artistas e a estimativa é que custe R$ 800 mil. Ele afirmou que haverá uma comissão para escolher os artistas. "A gente vai montar uma comissão com artistas que não queiram participar ou pessoas que gostem e possam ter isenção de julgamento, os grafiteiros mandam suas propostas, seu currículo, o que costuma fazer, não precisa mandar o desenho", disse Sturm. O evento nesta quinta aconteceu no canteiro central da Vinte e Três de Maio, para anunciar a restauração do monumento em homenagem ao 80 anos da imigração japonesa, da artista plástica Tomie Ohtake. Motoristas curiosos desaceleraram para ver o que acontecia e gritaram o nome de Doria.

DISPUTA

A avenida é cenário de disputa entre o tucano e grafiteiros e pichadores. Doria mandou pintar de cinza grafites na via. Um dos murais que sobraram, do artista Eduardo Kobra, foi pichado com uma imagem de Doria pintando o muro de cinza. O tucano lamentou a ação e disse que agora o mural será apagado, com consentimento de Kobra. Segundo ele, não haverá novos grafites na Vinte Três de Maio, onde haverá outro projeto, que o prefeito não quis divulgar. "Vou atrás deles, os pichadores são destruidores da cidade, não merecem o respeito nem da cidade nem dá população", disse Doria. "Durante quatro anos serei um prefeito intransigente com os pichadores".