UBER: Gestão municipal declara guerra à aplicativo, mais de 40 apreensões

02/06/2017 - 14:16 hs

Considerado uma inovação tecnológica que democratizou a acessibilidade ao transporte privado, o aplicativo UBER já está funcionando em Porto Velho, porém parece ter encontrado um inimigo de peso, o poder executivo municipal.

Colaboradores do UBER na capital rondoniense vem alegando severa perseguição das autoridades de fiscalização de trânsito do município, sendo que desde a implantação do aplicativo ao menos 45 carros particulares já foram apreendidos sob a alegação de estarem transportando passageiros sem a devida autorização.

A pressão colocada pelos agentes de trânsito nos UBER’s, seria uma ordem direta do secretário de trânsito, Marden Negrão, que por sua vez, estaria sendo pressionado pelos taxistas, que vem realizando seguidas manifestações contra a implantação do aplicativo.

 

Alinhados aos taxistas estão diversos vereadores que já se manifestaram contrários ao UBER, garantindo que o sistema jamais funcionaria na capital rondoniense. Sem nunca ter se pronunciado oficialmente em relação ao tema, o prefeito Hildon Chaves (PSDB), demonstra que não irá contrariar os taxistas, deixando claramente a mensagem de que Porto Velho é uma cidade hostil ao UBER.

Comparado muitas vezes ao seu “primo rico”, o prefeito paulista João Dória, nesse caso, o pensamento de “gestão moderna” dos tucanos em São Paulo, que regulamentou o UBER e taxou um imposto acessível aos colabores, não vem sendo acompanhado por Hildon.

Pressionados, os colaborares do UBER continuam atuando com grande apoio da opinião pública, mas encarando pressões e até risco de morte, caso uma imediata ação paliativa não seja promovida para acalmar os ânimos.

 

 

 

 


Fonte: RONDONIAOVIVO