8 dicas para ser mais criativo

Cada dia mais precisamos ser mais criativos em nossos trabalhos, e o mercado constantemente exige isso de cada profissional, mas o que é ser criativo?

Por Juan Pantoja 28/07/2017 - 12:18 hs

O que é exatamente criatividade? Uma palavra abstrata, bastante cobrada hoje no mercado de trabalho e muitas vezes decisiva para uma contratação ou promoção. No mercado publicitário, assim como o de apresentações, valorizamos a criatividade voltada a resolução da comunicação, com velocidade e assertividade de uma nova maneira. Alex Atala disse em sua apresentação no TEDxCampos 2011 que criativo é fazer o que já conhecemos de uma maneira inesperada. De acordo com Keith Sawyer, psicólogo e pesquisador e autor de Zig Zag: The Surprising Path to Greater Creativity, qualquer um tem o potencial de ser mais criativo – nós listamos oito, mas em seu livro existem muito mais e vale como recomendação de leitura:

1. Faça a pergunta certa

Você pode ter a resposta certa para a pergunta errada, e isso estraga tudo, pois estamos acostumados a pensar na melhor resposta, mas não na melhor pergunta. Vamos pegar como exemplo a Starbucks: nenhuma delas estaria hoje onde está se tivesse tentado responder a pergunta mais fácil de seus mercados, mas erradas. Ao invés de se perguntar  como eu posso recriar as cafeterias italianas nos Estados Unidos, Howard Schultz olhou para o que não estava sendo perguntado e isso mudou tudo: Como criar um ambiente confortável, acolhedor, como a nossa casa, para tomarmos um excelente café?

Para chegar à pergunta certa, desdobre a original: escreva dez variações dela, por exemplo, para a pergunta como construir uma ratoeira melhor, você pode desdobrar para como colocar os ratos para fora da minha casa ou o que faz o rato procura ou como deixar o meu quintal mais atraente para um rato do que minha casa. Uma dessas novas perguntas será melhor do que o original, e te levará a uma resposta mais criativa.

 

2. Torne-se um especialista

O segredo para o sucesso não está na sua capacidade natural, mas na prática. Pesquisas indicam que para você ser muito bom em alguma coisa precisa de 10.000 horas de prática – ou seja, não é só fazer a mesma coisa de vez em quando.

Antes de ser criativo em alguma área, você precisa se tornar um especialista. Simples assim. E para essa jornada ser boa e agradável, você precisa gostar daquilo que quer se tornar especialista, senão uma hora irá abandona-lo.

 

3. Esteja aberto a novas soluções

Pessoas criativas estão sempre à procura de novas soluções. Lembre-se: é resolver problemas com o que conhecemos, mas de forma inesperada. Você pode praticar, potencializando a sua curiosidade e resistir aos estereótipos.

Trabalhe o bom humor! Pesquisas indicam que pessoas que se descrevem como bem humoradas tendem a perceber mais possibilidades do que as pessoas infelizes, e também aproveitam melhor novas oportunidades porque são curiosos.

 

4. Brinque, interrompa e aprenda

Quando você joga, sua mente pode vagar e seu subconsciente tem tempo para trabalhar. É por isso que o tempo livre, o ócio criativo, é necessário para deixar a criatividade acontecer: ajuda a conhecer o seu lado lúdico, e isso alimenta a mente.

Deixar tarefas inacabadas no final do dia pode deixa-la mais fácil de terminar no dia seguinte, isso porque o seu cérebro continua pensando naquela tarefa, e pontos cognitivos são deixados abertos em sua mente, que podem muito bem serem fechados com novas ideias através de atividades fora do trabalho – talvez isso mude a forma de pensar sobre não deixar para amanhã o que se pode fazer hoje.

Torne-se um eterno iniciante, aprenda a fazer algo novo, a buscar novas habilidades (jogar golfe, fazer malabarismo ou escultura em argila, por exemplo), o importante é treinar a mente a aprender: sem prazos, sem pressão.

 

5. Crie volume

É o mesmo princípio de um bom brainstorming: primeiro trabalhamos na quantidade de ideias para, depois, trabalharmos na qualidade delas. O volume das ideias é importante para que esgotemos as possibilidades comuns e passemos para as mais criativas.

Crie associações entre as ideias, as mais malucas provavelmente serão as melhores. Relacione ideias que nunca foram pensadas juntas. Isso gera novas ideias.

 

6. Ideia fusível

Combinação de coisas que normalmente não andam juntas. Como no ponto anterior, conectar ideias muito diferentes criam ideias novas. Em um recente estudo britânico, o neurocientista Paul Howard-Jones pediu às pessoas para criar histórias, dando-lhes somente três palavras. Para um grupo as palavras eram relacionadas, por exemplo, “escova”, “dentes” e “brilho”. Outro conjunto de pessoas receberam palavras não relacionadas, como “vaca”, “zip” e “estrela”. O grupo que recebeu palavras não relacionadas criou histórias mais criativas.

Use analogia. Encontrar semelhança entre elementos que no primeiro contato parecem diferentes. Ao contrário de listar “afiado” ou “corte” para uma faca, por exemplo, você poderia listar detalhes como “requer pressão para baixo para cortar.” Como essas características se aplicam a tudo o que você está tentando resolver? Esse exemplo pode te ajudar a criar novas ideias a partir de detalhes muito simples.

 

7. Escolha as melhores ideias

Depois do quantitativo, precisamos do qualitativo. Depois de colocarmos todas as ideias na mesa, precisamos selecionar as melhores. Mas para começar, lembra-se da pergunta certa? Então saiba o que você está procurando – para fazer isso, use sua intenção e experiência, ambos muito importantes no processo de criatividade.

Coloque suas ideias em conflito, faça a prova se eles realmente funcionam, deixe um tempo para você pensar melhor, seja o advogado do diabo: veja se a ideia tem fôlego, se ela dura depois de um tempo de questionamentos.

 

8. Saia da zona de conforto

Sair da sua zona de conforto te permite pensar em ideias de uma maneira mais livre, sem as “amarras” que adotamos e nos acostumamos. A experiência é ótima, mas ela pode nos limitar. Uma criança tem ideias fantásticas porque ainda está experimentando o mundo, portanto tente algo novo, algo que você não conhece.

 

Fonte: monkeybusiness