Trabalho em defesa do povo Cinta Larga é finalista do Prêmio CNMP 2017

29/07/2017 - 01:55 hs

 

Reginaldo Trindade na tribo Cinta Larga (reserva Roosevelt)

O trabalho ‘A luta para salvar uma comunidade indígena da Amazônia Brasileira’, do Ministério Público Federal em Rondônia (MPF/RO), é um dos finalistas do Prêmio do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) 2017. Desenvolvido pelo procurador da República Reginaldo Trindade, o trabalho foi classificado entre os três que disputarão o primeiro lugar. O trabalho vencedor será conhecido na próxima quarta-feira, 2 de agosto, durante a solenidade de abertura do 8º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público, em Brasília/DF.

Foram inscritos, inicialmente, 1077 projetos nos vários Ministérios Públicos de todo o país. Deste número, foram selecionado27 projetos finalistas em nove diferentes categorias do Prêmio CNMP 2017. O trabalho sobre o povo Cinta Larga concorre na categoria ‘Defesa dos Direitos Fundamentais’. Para Trindade, “o só fato de o trabalho estar entre os finalistas já é, por si só, um grande reconhecimento do esforço para tentar tirar a comunidade indígena da situação em que se encontra – refém do descaso do Governo Federal e acuada pelo crime organizado”.

Integram a Comissão Julgadora desta edição os conselheiros do CNMP, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), as associações de classe do MP, as escolas do MP, representantes da comunidade acadêmica, do Poder Judiciário, do Senado Federal, da Câmara dos Deputados, do Ministério dos Direitos Humanos, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de organizações dos movimentos sociais, de organizações não-governamentais e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

O Prêmio CNMP foi criado para dar visibilidade aos programas e projetos do Ministério Público brasileiro que mais se destacaram na concretização dos objetivos do Planejamento Estratégico Nacional do MP.