Prefeita tirou R$ 20 mil dos cofres públicos para pagar pistoleiros na execução de jornalista

Vítima estaria ameaçando denunciar irregularidades do Governo. Roseli Ferreira Pimentel foi presa na última quinta-feira.

13/09/2017 - 12:02 hs

A prefeita afastada de Santa Luzia, na Grande BH, em Minas Gerais, presa por envolvimento na morte de um jornalista da cidade, é suspeita de ter desviado R$ 20 mil da Prefeitura para pagar os executores do crime. A informação foi divulgada na tarde desta segunda-feira (11), pela Polícia Civil que confirmou, ainda, o indiciamento da chefe do Executivo pelos crimes de homicídio qualificado e de peculato.

Segundo as investigações, o dinheiro usado para pagar os pistoleiros era destinado à Secretaria de Saúde da cidade. Para ter acesso à quantia, foram usadas notas fiscais da compra de um lote de mamão. Além de Roseli, outros três suspeitos foram presos, na última quinta-feira (7).

O crime

O assassinato aconteceu em agosto do ano passado, dois meses antes das eleições. Segundo testemunhas, Maurício Campos Rosa saía da casa de um amigo quando dois homens se aproximaram dele e efetuaram diversos disparos. O jornalista foi atingido por cinco tiros, quatro nas costas e um na nuca. De acordo com a polícia, a Prefeita teria mandado conhecidos roubarem os objetos da vítima no hospital para onde ele foi levado. Os pertecentes do jornalista teriam sido levados para a Prefeitura, mas desapareceram em seguida.

As investigações apontam que Rosa, que era dono do jornal O Grito, ameaçava a chefe do Executivo de divulgar informações contra ela para interferir no resultado das votações. Em abril deste ano, um assessor político da prefeita, revelou à polícia que o jornalista passou a chantagear Roseli quando descobriu que ela tinha comprado uma casa em um condomínio fechado usando verbas do município. Ele queria R$100 mil para não publicar a reportagem.

Prefeitura

A professora Roseli Pimentel foi eleita vice-prefeita de Santa Luzia em 2013. Com a morte de Carlos Calixto, em janeiro de 2016, ela assumiu a administração da cidade e foi reeleita no ano passado. Em abril, Roseli chegou a ser cassada por abuso de poder político, econômico e uso indevido de veículos de comunicação. Ela voltou ao cargo após uma liminar do Tribunal Superior Eleitoral. Com a prisão de Roseli, o vice Fernando César (PRB) assumiu a Prefeitura.


Fonte:R7