Ninguém perguntou, mas Hildon disputa o Governo?

O que o cenário diz sobre uma possível candidatura do prefeito ao Governo do Estado

Por Sidney Oliveira 22/06/2021 - 11:32 hs

O Prefeito Hildon Chaves, reeleito em 2020 contrariando 11 de cada 10 análises do cenário, é de longe o líder político dos tucanos em Rondônia. Tucanos esses que venceram as eleições estaduais de 2002 com Cassol e estiveram no 2° turno em 2014 e 2018 com Expedito Júnior.


Hildon Chaves apenas por ser o prefeito da capital, já pode ser considerado um concorrente peso pesado para a reeleição do Coronel. Soma-se a isso os diversos episódios onde houveram desavenças públicas entre o Governador e Hildon, a mais recente no caso do decreto estadual que libera eventos de até 999 pessoas e que o prefeito chamou de bizarrice no twitter (não há explicação pra esse número, porque não mil?).

Também devemos considerar que a reeleição de Hildon era uma prioridade da Executiva Nacional do PSDB com o intuito de não perder espaço entre as capitais. Prioridade que se repetirá em 2022. Os tucanos querem reconquistar o número de governos estaduais para o nível pré Aécio Neves, quando governavam oito estados (hoje só governam três) e a maior parte da população brasileira. Fora tudo que já foi dito, o jovem vice-prefeito Maurício Carvalho tem todo o potencial de assumir a cadeira e disputar a reeleição em 2024 com grandes chances de manter os tucanos à frente da prefeitura até 2028.


Agora, partimos para os contras. Atualmente há um Senador da República pára-choque do Governo Federal na CPI da Pandemia, Marcos Rogério do Democratas claramente busca o apoio do Presidente da República para disputar o Governo de Rondônia. O senador é aliado de Hildon na reeleição. 


Aproveito a oportunidade para salientar que o atual governador foi eleito por Bolsonaro, então não faria sentido o presidente ter dois candidatos no mesmo estado, mas isso é assunto para outra coluna.


Além disso, Hildon teria que renunciar até abril do ano que vem para poder concorrer pela indicação do PSDB. Caso o faça, disputará contra Expedito Júnior, que foi candidato a governador em 2010, 2014 e 2018, enfrentar o ex-governador Ivo Cassol e o Deputado Federal Leo Moraes, seu adversário em 2016.

Por Sidney Oliveira
Editado por Guilherme Matos