Após comer pacu, homem sente dores, febre, perde a voz e para de andar

Segundo Vanessa, a urina do pai estava 'totalmente escura' quando ele deu entrada na unidade de saúde

24/09/2021 - 09:33 hs

Vanessa Maria Ebraim Dos Santos, filha do paciente Valdir Rufino dos Santos de 55 anos, internado no Hospital Municipal de Santarém (HMS) com suspeita da doença da urina preta, relatou que os sintomas do pai começaram  após o consumo do peixe pacu.

Valdir  consumiu o peixe sozinho e cerca de uma hora depois sentiu dor muscular intensa, dores no peito, nuca, febre, câimbra nas pernas e dor de estômago. O peixe foi comprado por Valdir em uma feira local de pescado da cidade, localizada no bairro da Prainha.

Ele procurou atendimento médico na manhã seguinte ao consumo do pescado.

“Ele é muito ativo, não tem nenhuma doença e não costuma reclamar, então ficou aguentando a noite toda. Já na manhã seguinte, sexta-feira, os sintomas ficaram insuportáveis, as pernas dele falharam, ele não conseguia falar nem andar direito”, relatou a filha.

Segundo Vanessa, a urina do pai estava “totalmente escura” quando ele deu entrada na unidade de saúde. “Hoje ele já teve uma melhora, mas ainda aguarda outros exames aqui no Hospital”, relatou.

O paciente deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)  24 horas, onde passou por avaliação. Após ser constatado que tratava-se de um caso suspeito da Síndrome de Haff, foi transferido para o Hospital Municipal de Santarém, onde permanece internado.

Rondoniaovivo