MP da Itália pede extradição e emite mandado de prisão internacional a Robinho

A Constituição do Brasil não permite extradição de seus cidadãos, porém, caso Robinho deixe o país ele deve ser preso

15/02/2022 - 13:56 hs
Foto: (Foto:Divulgação/Santos)

Ministério Público da Itália encaminhou ao Ministério da Justiça um pedido de extradição e um mandado de prisão internacional para o jogador Robinho.

Ele foi condenado, de forma definitiva, a nove anos de prisão por estupro coletivo cometido contra uma jovem albanesa em uma boate em Milão, em 2013.

As informações são do jornal La Repubblica, que ressalta que a Constituição do Brasil não permite extradição de seus cidadãos. No entanto, caso Robinho deixe o país ele deve ser preso.

O ex-atacante do Santos Futebol Clube também foi condenado a pagar uma indenização de 60 mil euros (cerca de R$ 372 mil na cotação atual).

Entenda o caso que condenou Robinho

O fato ocorreu em janeiro de 2013, quando Robinho defendia a equipe italiana do Milan. A sentença pela condenação pesou a troca de mensagens e escutas, nas quais o jogador fala sobre a noite do crime.

Em uma das mensagens, avisado por um amigo a respeito da investigação, Robinho disse, em tom despreocupado:

"Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”, disse Robinho

 

Conforme a sentença da primeira instância, o ídolo do Santos e um grupo de amigos abusaram sexualmente da jovem albanesa de 23 anos, dentro de uma casa noturna.

Ela estaria alcoolizada “ao ponto de ficar inconsciente” e teve relações sexuais em uma situação em que não era capaz de resistir ou se defender.

Revista Fórum