Jornalista Chico Pinheiro deixa a Globo após 32 anos

Apresentador já foi advertido pela direção da emissora por crítica ao ex-juiz Sérgio Moro

29/04/2022 - 13:00 hs

O jornalista Chico Pinheiro deixou a Rede Globo nesta sexta-feira (29), após  32 anos de jornalismo na casa.  O comunicado  assinado pelo diretor-geral de jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, diz que o jornalista deixa a emissora após 32 anos em “comum acordo” com a Globo.

“Depois de 51 anos de jornalismo diário, 32 deles na Globo, em comum acordo com a emissora, Chico decidiu deixar o dia a dia da vida de repórter, como ele faz questão de se definir. Pretende se dar um sabático e, mais adiante, se dedicar a atividades num ritmo mais espaçado”, diz um trecho da nota.

Kamel agradeceu os serviços de Chico prestados à emissora, deixando de lado as advertências dadas por ele, em decorrência dos  posicionamentos progressistas do jornalista: “De nós, seus colegas e amigos, fica o reconhecimento de ter convivido na redação com um dos grandes jornalistas que a televisão brasileira já produziu e uma das pessoas ‘boa gente’ com quem já compartilhamos histórias e experiências. Entre mim e Chico fica carinho e amizade, e muitas sextas-feiras por vir. A ele, agradeço em nome da Globo por toda a contribuição que deu ao nosso jornalismo.”


Censura


Nem tudo foram flores no casamento entre Chico Pinheiro e direção da Rede Globo.  Em 2018, após um conjunto de áudios do ex-apresentador do Bom Dia Brasil, sobre a prisão do ex-presidente Lula vazar na rede, o diretor-geral de Jornalismo da Globo enviou um e-mail aos jornalistas da emissora 'advertindo  os funcionários' sobre o uso de redes sociais. 

Apesar de não citar nominalmente, ficou claro a todos que Kamel se referia a um áudio do jornalista vazado em grupos de whatsapp. “A Globo é apartidária, independente, isenta e correta. Cada vez que isso acontece, o dano não é apenas de quem se comportou de forma inapropriada nas redes sociais. O dano atinge a Globo”, escreveu no e-mail Kamel. 

No áudio vazado com a voz do jornalista, é possível perceber a indignação de Chico Pinheiro com a prisão do ex-presidente Lula. Nele, Chico Pinheiro, lembra a frase de Lula momentos antes de ser preso: “Eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia e ideia não se prende”.

Logo mais adiante, o jornalista acrescenta: "Realizaram o fetiche. O fetiche deles era Lula na cadeia. Não foi feito do jeito que eles queriam, mas o Lula foi. E agora? O que vão fazer agora? Como é que fica? Qual é o próximo passo? Que o Lula tenha calma e sabedoria, inspiração divina para ficar quieto onde ele está".

Chico Pinheiro ainda faz críticas à cobertura da GloboNews, sobretudo a legenda sobre fala jornalista falecida, Cristiana Lôbo, “Sem Lula, PT precisa traçar novas estratégias”. De acordo com ele, “quem precisa criar novas estratégias são eles (os coxinhas). Vão fazer o que agora?”, pergunta

Revista Fórum