Seja bem-vindo
Porto Velho,22/06/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Confúcio Moura foi o relator de projeto que declara Tancredo Neves Patrono da Redemocratização Brasileira

A proposição foi aprovada por unanimidade na Comissão de Educação do Senado; senador rondoniense se diz honrado com o apoio dos seus colegas em momento tão delicado da democracia brasileira


Confúcio Moura foi o relator de projeto que declara Tancredo Neves Patrono da Redemocratização Brasileira
Publicidade

A Comissão de Educação Cultura e Esporte do Senado Federal (CE) aprovou nesta quinta (12), em decisão terminativa, o Projeto de Lei nº 3.778/2021 que declara o ex-presidente Tancredo de Almeida Neves, Patrono da Redemocratização Brasileira. A proposição relatada pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO) foi aprovada por unanimidade e agora vai à sanção.

Em sua justificativa, Confúcio Moura relata que a iniciativa da homenagem a Tancredo Neves, primeiro presidente da República no pós-redemocratização, como Patrono da Redemocratização Brasileira teve origem com o PL nº 5.851, de 2005, na Comissão de Legislação Participativa da Câmara Municipal de Governador Valadares, MG, e foi apresentada pela Associação Comunitária de Chonin de Cima (ACOCCI). Logo, uma iniciativa da sociedade civil bastante louvável.

Para Confúcio Moura, este fato comprova que a matéria aprovada trata-se de promover justiça em relação à relevância de Tancredo Neves, sua trajetória política, sua personalidade conciliadora e, sobretudo, seu apreço pela democracia. Com a aprovação do PL nº 3.778/202, segundo o senador, se consolida uma personalidade democrática a ser reverenciada pelas futuras gerações de brasileiros e brasileiras – que certamente nele se inspirarão para a luta pelo fortalecimento da democracia no País como um valor inegociável.

 

Em Tempo

Nascido na cidade de São João del Rei (MG), em 4 de março de 1910, Tancredo de Almeida Neves, iniciou sua carreira política como vereador de São João del Rei. Depois foi eleito deputado estadual, deputado federal por seguidos mandatos, senador e governador de Minas Gerais. Participou da campanha das “Diretas já”, cuja causa central era a aprovação da emenda Dante de Oliveira, que propunha a realização de eleições diretas para presidente da República em 1984.

Após a derrota da emenda, foi lançado candidato à presidência por uma coligação de partidos de oposição, tendo como vice o senador José Sarney. Foi eleito presidente da República pelo Colégio Eleitoral, em 15 de janeiro de 1985. A eleição de Tancredo, apesar de indireta, foi recebida com grande entusiasmo pela maioria dos brasileiros. Afinal, ele seria o primeiro presidente civil do país depois de mais de 20 anos.

O presidente eleito, no entanto, jamais assumiu o governo. Na véspera da sua posse, foi internado no Hospital de Base, em Brasília, com fortes dores abdominais. O seu vice, José Sarney, assumiu a Presidência interinamente no dia seguinte, 15 de março. Após um martírio de 39 dias, o presidente eleito Tancredo Neves morreu no dia 21 de abril de 1985, no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo, vítima de infecção generalizada.




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.