Seja bem vindo
Porto Velho,30/09/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

Naufrágio na Grécia: cerca de 50 migrantes estão desaparecidos

Foto: g1.globo.com
Naufrágio na Grécia: cerca de 50 migrantes estão desaparecidos




Barco afundou na costa da ilha de Cárpatos com cerca de 80 pessoas, sendo que 29 já foram resgatadas. Equipes de resgate buscam migrantes após naufrágio na Grécia
A Guarda Costeira da Grécia faz operações de busca, nesta quarta-feira (10), por dezenas de pessoas que continuam desaparecidas após o naufrágio de uma embarcação na costa da ilha de Cárpatos, no sudeste do mar Egeu. De acordo com o comunicado divulgado pela instituição, "até o momento 29 pessoas, entre afegãos e iraquianos, foram resgatadas. As buscas continuam porque entre 60 de 80 pessoas estavam no barco que afundou", disse uma responsável da imprensa da Guarda Costeira.
O barco virou e afundou na costa da ilha de Cárpatos, entre Rodes e Creta, disse Nikos Kokkalas, o porta-voz da Guarda Costeira, à televisão pública grega. Ele acrescentou que o trabalho das equipes de resgate é prejudicado por ventos fortes de 40 km/h a 50 km/h.
A operação de resgate foi ordenada na madrugada desta quarta-feira pelo ministro da Marinha, Yannis Plakiotakis, após ser informado do incidente. Quatro barcos que navegavam na área do naufrágio, duas embarcações de patrulha da Guarda Costeira e um helicóptero da Força Aérea grega participam da busca aos desaparecidos.
O navio havia partido da cidade de Antália, localizada no sul da Turquia e não muito longe das ilhas gregas do mar Egeu. O destino da embarcação era a Itália, informaram as autoridades gregas.
Rota de fuga
A perigosa travessia entre as ilhas gregas e a costa turca no mar Egeu, localizada no leste do Mediterrâneo, resulta nas mortes de muitos migrantes e refugiados que tentam chegar à Europa a bordo de barcos improvisados, frequentemente para fugir da guerra e da miséria.
Desde janeiro de 2022, 64 pessoas morreram no Mediterrâneo oriental, e 111 em 2021, de acordo com dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM). O número de chegadas de migrantes e refugiados à Grécia, principalmente vindos da Turquia, aumentou este ano, de acordo com as autoridades gregas.
Atenas acusa Ancara de fechar os olhos aos traficantes de seres humanos e permitir que migrantes cheguem à Grécia, em violação de um acordo de março de 2016 que exige que a Turquia reduza a migração de seu território, em troca de ajuda financeira europeia. A Turquia nega as acusações.
O último naufrágio no mar Egeu aconteceu em 19 de junho, quando oito pessoas morreram na ilha grega de Mykonos, e108 foram resgatadas pela guarda costeira grega, segundo a OIM.
Equipes de resgate buscam migrantes após naufrágio na Grécia
Guarda Costeira/Reprodução
Equipes de resgate buscam migrantes após naufrágio na Grécia
Guarda Costeira/Reprodução



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login