Seja bem vindo
Porto Velho,03/10/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

TIZIU JIDALIAS: Candidato a deputado federal, Tiziu Jidalias comenta sua trajetória política e fala dos seus projetos para Rondônia

Durante a entrevista, Tiziu comenta sobre sua carreira política, erros do passado, sua vida empresarial e polêmica envolvendo a prefeita Carla Redano, de Ariquemes


TIZIU JIDALIAS: Candidato a deputado federal, Tiziu Jidalias comenta sua trajetória política e fala dos seus projetos para Rondônia


Dando sequência a série de entrevistas que o EU IDEAL vem realizando com diversos candidatos, independente de partido, ideologia ou bandeira, com o viés informativo e sob uma ótica diferente, mais dinâmica e informativa, neste bate-papo com o candidato a deputado federal Tiziu Jidalias, 53 anos, ex-deputado estadual por Rondônia e empresário fundador do grupo Rondo Motos.


EU IDEAL: Candidato, fala um pouco para a gente como iniciou sua trajetória na política.


TIZIU JIDALIAS: Bom, minha história na política começou há 43 anos, quando cheguei em Rondônia, onde fiz uma jornada empresarial. Graças a Deus me considero uma pessoa com muitas amizades, e, graças a uma empresa que tivemos durante 25 anos, ela me proporcionou ingressar na vida pública e, em 2006, fui eleito deputado estadual, sendo o terceiro mais votado do estado. E daí pra cá, depois de um trabalho graças a Deus bem sucedido, tive uma jornada como candidato a vice-governador com o João Cahulla. Fomos até o segundo turno mas perdemos por poucos votos. Então eu decidi me afastar por 08 anos da política, até 2018, quando decidi sair candidato a deputado federal. Infelizmente, por conta da legislação das coligações à época, eu fiquei sem a cadeira. Eu até digo que “ganhei sem levar”, porque teve candidato que fez menos votos que eu e garantiu um assento na Câmara. Então eu fui cuidar das minhas coisas, pois sempre digo que nunca fiz da política uma profissão e sim uma missão.


EU IDEAL: Em 2020, o senhor saiu para disputar a prefeitura de Ariquemes mas perdeu por uma diferença muito pequena. Naquela época, a Carla Redano (atual prefeita de Ariquemes) estava na sua chapa e algumas pessoas dizem que por conta de um vídeo o qual ela aparece dançando motivou a desfeita do grupo que vocês tinham. Isso procede?

TIZIU JIDALIAS: Não. Até porque o vídeo foi antes da formação da chapa. Acontece que dentro das nossas trativas nós tínhamos outra pessoa, que foi a minha vice, Marlei Mezzomo, empresária que não queria se envolver com a política. Porém, no penúltimo dia da convenção, ela disse que aceitaria ser a minha vice. Aí, eu rapidamente manifestei para o grupo do deputado Alex Redano o meu desejo da vice ser a Marlei Mezzomo. Daí criou-se toda aquela polêmica porque nós tínhamos algumas conversas em andamento. Dado isso, eu fiquei calado porque quanto mais eu falava, mais desgastava a história, porque primeiro eles venderam a versão deles e depois nós falamos o que realmente aconteceu.


EU IDEAL: O senhor se arrepende ou voltaria atrás dessa decisão e formaria chapa com a atual prefeita Carla Redano?

TIZIU JIDALIAS: Tenho muito respeito para com a Carla, mas eu tinha muita convicção e estávamos muito seguros da capacidade que a Marlei Mezzomo tem. Porque eu, sabendo do estilo que faço política, certamente faria muito isso em meu mandato: articulando, indo a Brasília, Porto Velho, enfim, para buscar recursos e investimentos para a nossa cidade. E tenho a certeza que a Marlei, como vice-prefeita, me daria todo o suporte para que isso fosse possível.


 EU IDEAL: Todo mundo que conhece sua trajetória política sabe do seu sucesso à frente dos seus negócios. Conta para o nosso leitor como foi sair de um negócio tão consolidado e desbravar a política.

TIZIU JIDALIAS: Tenho muito orgulho do negócio que criamos. A Moto Honda da Amazônia começou embaixo de uma árvore em Ariquemes e entreguei ela com quase 600 funcionários, 14 lojas aqui em Rondônia e 13 no Alagoas. Então, eu ganhei um sobrenome da população, o Tiziu da Rondo Motos, por causa da minha história intensa de empresa. Se fosse por uma opção minha, logicamente não deixaria ela nunca. A Honda tem uma política muito séria com os seus concessionários, e como sempre tive sócio, isso foi um problema. Não com a sociedade em si, da minha parte sempre procedeu tudo de forma mais correta e cristalina possível, mas os outros dois tiveram alguns desencontros com a marca, foi quando eu decidi vender o nosso conglomerado. E é engraçado que hoje sou conhecido mais porque fui deputado do que como alguém que esteve há 25 anos à frente de um negócio tão bem sucedido.

EU IDEAL: Explica para o nosso leitor como você foi parar no MDB, que já tem um mandatário, e se recebeu propostas de outros partidos.

TIZIU JIDALIAS: Vários outros partidos me deram a honra de compor a nominata. Sei que muitas pessoas talvez possam não acreditar nisso, ou enxergar de forma pejorativa, mas eu acredito que no Brasil não existe um partido ideal. Hoje nós temos uma pulverização de partidos que muitos ainda estão tentando se definir como realmente são: se são de esquerda, direita, centro etc. Todos os partidos têm pessoas boas, pessoas ruins, de todos os jeitos, mas eu percebi no MDB que eles têm uma nominata competitiva e que tem condições de eleger dois representantes da sigla, é a hora que você faz conta matemática e vê se é possível ou não, a política tem esse momento. E só tem dois partidos, na minha visão, que conseguem fazer dois deputados: um é o União Brasil que tem todas as características que façam dois, e o outro é o MDB. Então eu fui para o MDB, onde tenho duas chances.

EU IDEAL: Quais serão as bandeiras que o senhor defenderá em Brasília?

TIZIU JIDALIAS: Rondônia é um estado emergente, ainda precisa crescer e desenvolver-se em muitos aspectos. A menos que você seja alguém que defenda uma classe ou categoria específica, você precisa se pulverizar e defender muitas pautas. Por ser empresário e empreendedor, estou sempre focado na geração de emprego e renda. Tento sempre oportunizar chances na vida das pessoas. Rondônia precisa ser industrializada, urgentemente. Nós contamos nos dedos as empresas que têm mais de 500 funcionários: alguns frigoríficos, fábrica de bicicletas etc. Nós precisamos deixar de sermos meros exportadores, até energia nós mandamos para fora. Precisamos de pessoas que tenham como mote a industrialização, pois muitos jovens que se especializam vão buscar uma oportunidade fora. A Unir (Fundação Universidade Federal de Rondônia), por exemplo, é uma instituição importante no nosso estado, mas que atualmente está falida. Então por isso que falo: nós precisamos de unidade, de políticos que façam articulação com a bancada estadual e federal para buscarmos melhorias para o nosso estado. Sozinho, é evidente que não consegue mudar muita coisa. E nós temos que transformar Rondônia, há muito por fazer!

 EU IDEAL: Então o senhor será um deputado municipalista, é isso?

TIZIU JIDALIAS: Sim. Pois os nossos prefeitos precisam de alguém que abrace a causa deles, são muitos desafios que eles enfrentam diariamente, sozinhos não conseguem resolver muita coisa.


EU IDEAL: Qual a sua opinião sobre o governo Marcos Rocha e dos nomes que têm à disposição hoje na corrida eleitoral?

TIZIU JIDALIAS: Eu considero um governo mediano. Não vi escândalos ou algo do gênero, pagou a folha de pagamento em dia, mas é obrigação. Numa escala de zero a cinco, eu dou cinco, porque não teve nada de extraordinário, Rondônia precisa de mais, deixar de ser o patinho feio que as pessoas lá de São Paulo acham que somos, por exemplo. Quanto aos nomes, acho que temos um cenário embolado, pois os nomes disponíveis são bons e fortes. Marcos Rocha tem a máquina na mão, o próprio Marcos Rogério também é forte, Daniel Pereira, que é de esquerda, também é outro quadro forte, enfim, o cenário está bagunçado. Resta-nos aguardar.



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login