Seja bem vindo
Porto Velho,03/10/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

Drogas e celulares são encontrados dentro de marmitas em presídio, em Porto Velho

Drogas e celulares são encontrados dentro de marmitas no presídio Pandinha em Porto Velho — Foto: Wanderson Caldeira/arquivo


Drogas e celulares são encontrados dentro de marmitas em presídio, em Porto Velho


Três detentos da Penitenciária de Médio Porte de Porto Velho, o Pandinha, receberam voz de prisão após drogas, celulares, chips de celulares e carregadores serem encontrados dentro de marmitas de comida. Os acusados foram levados à Central de Flagrante após o flagrante.

De acordo com o boletim de ocorrência, o diretor da unidade penitenciária informou aos agentes que aconteceria uma entrada de drogas e celulares no presídio por meio da empresa de alimentação.

Diante da informação, os agentes ficaram de ‘campana’ durante a entrega de alimento. O procedimento feito pela empresa seguia o protocolo de que, quem descarrega as caixas das marmitas, são alguns presos destinados para aquele serviço.

Durante a distribuição das marmitas, um dos presos, que foi mencionado pelo diretor como suspeito por facilitar a entrada da droga e celulares, foi observado pelos agentes.

O suspeito pegou uma das caixas da marmita e seguiu para o pavilhão ‘C’. No local, havia outro preso responsável pela distribuição no pavilhão. O primeiro pediu pera ficar lá e ajudar na distribuição, o que que foi negado.

O suspeito deixou o local, mas em seguida retornou e pegou uma caixa específica relatando que faria a distribuição em outro pavilhão. A atitude chamou a atenção do agente, que acompanhou o suspeito.

Em um corredor, onde não possui monitoramento de câmeras do pavilhão, o suspeito foi flagrado abrindo uma marmita e retirando um pacote com uma substância branca em forma de pedra, aparentando ser cocaína e outro pacote transparente contendo uma substância aparentando ser maconha.

Ele também foi flagrado tirando da marmita um carregador de celular, três fones de ouvido e dois chips de celulares lacrados. Os objetos e as drogas estavam sendo passados para um outro detendo, que os colocou no bolso da bermuda.

Diante do flagrante, foi dada voz de parada. O suspeito, que havia colocado as drogas e objetos na roupa, saiu correndo em direção ao pavilhão ‘A’. Ao entrar no local, em contato com um terceiro detento, ele entregou um pacote. Esse, tentou esconder o pacote dentro do vaso sanitário. Mas os agentes conseguiram recuperar.

Uma revista foi feita nos locais onde os suspeitos percorreram e foram encontrados:

  • 10 pacotes de cor branca aparentando ser cocaína;
  • 2 pacotes envolvidos em plástico aparentando ser maconha;
  • 1 carregador de celular de cor branca;
  • 1 fone de ouvido de cor preta;
  • 1 aparelho celular com chip.

Os três detentos receberam voz de prisão e foram levados à Central de Flagrantes.

EMPRESA TERCEIRIZADA

Diante do ocorrido na penitenciária, os agente buscaram abordar o motorista que fez a entrega da alimentação. Porém, ao chegar no local, foi informado que a empresa que faz as entregas das marmitas no presídio é terceirizada.

Averiguado o nome da empresa e do dono, os agentes o encontraram no Hospital de Base. A este, foi relatado todo o ocorrido dentro do presídio e solicitado a urgência da localização do motorista envolvido naquela entrega de marmitas.

No entanto, o suposto dono da empresa não soube informar o endereço e nem a localização do funcionário.

Fonte: g1



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login