Eleições 2020 - Porto Velho já tem nomes na lista de pré-candidatos a prefeito

19/07/2020 - 11:44 hs

Nas eleições gerais de 2018 votaram em Porto Velho mais de 330 mil eleitores. A capital é o único município do Estado com possibilidades de eleições em dois turnos, porque tem mais de 200 mil eleitores como exige a legislação eleitoral.

Como o Congresso Nacional decidiu que teremos eleições municipais (prefeito, vice e vereador) este ano, mas não em outubro e sim em novembro com o primeiro turno no dia 15 a movimentação em torno do processo eleitoral, pelos dirigentes partidários, ainda, não ganhou força, mas os bastidores estão movimentados.

Em novembro de 2019 tínhamos pelo menos uma dezena de políticos em condições de enfrentar às urnas na tentativa de eleger-se prefeito e boa parte em condições de realizar o sonho. São nomes expressivos, alguns emergentes, que já demonstraram potencial eleitoral, como o jovem advogado Vinícius Miguel (Cidadania) e o prefeito Hildon Chaves (PSDB), que não bateu o martelo sobre reeleição, mas dificilmente abrirá mão de a possibilidade.


Hildon disputou a primeira eleição em 2016 e chegou ao segundo turno na segunda colocação, com o hoje deputado federal Léo Moraes (Podemos) na frente e sendo considerado favorito. Hildon era um ex-promotor de Justiça, empresário da área educacional e disposto a administrar a capital. Venceu no segundo turno com tranquilidade.

O prefeito Hildon nega qualquer possibilidade de concorrer a um novo mandato. Confirmando essa informações, o  cenário muda totalmente, pois novos nomes poderão surgir com a desistência de Chaves. 


São eles, Thiago Tezzari (Ex-presidente da EMDUR) e Lindomar Garçon (Ex-Deputado Federal), que só irão disputar ao pleito caso o empresário desista de fato da candidatura.  

NOMES

Léo Moraes, que era deputado estadual em 2016, hoje é deputado federal e presidente regional do Podemos, partido que tem um dos líderes políticos mais decentes do país, o senador Álvaro Dias, que preside o Podemos em nível nacional é pré-candidato com enorme potencial de sucesso. É um nome a ser considerado e que está se preparando para as eleições.



O jovem advogado Vinícius Miguel foi a sensação eleitoral nas eleições a governador em 2018. Assim como Hildon em 2016, conseguiu a simpatia popular na capital, onde foi o mais bem votado com mais de 69 mil votos. Como não era muito conhecido no interior não conseguiu chegar ao segundo turno.

O ex-governador Daniel Pereira (Solidariedade), hoje na presidência do Sebrae-RO é mais um pré-candidato com chances de sucesso nas eleições de novembro. Daniel foi deputado estadual, na época pelo PT, vice-governador de Confúcio Moura (MDB), que renunciou para candidatar-se e se eleger a senador e agora é pré-candidato pelo Solidariedade, partido que preside no Estado à sucessão municipal na capital. Está entre os favoritos pela seu histórico político e passagem positiva na presidência do Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sindsef) de Rondônia.


Não há como ignorar a pré-candidatura do ex-prefeito, hoje deputado federal Mauro Nazif (PSB), que antecedeu a Hildon na Prefeitura de Porto Velho. A passagem de Nazif no comando do município não sensibilizou a maioria da população. Foi candidato à reeleição e não conseguiu chegar ao segundo turno. Ele sempre foi aliado dos servidores federais e tem forte apoio da categoria, que é grande na capital, mas que não apoia sua volta à prefeitura, pois ele é muito mais eficiente na Câmara Federal. Mas concorrendo é um adversário forte.

O deputado estadual pelo PSL de Porto Velho, Eyder Brasil já se manifestou que é pré-candidato a prefeito da capital. Nas eleições de 2018 foi bem votado em Porto Velho e acredita que terá sucesso na disputa da prefeitura. Como a administração do governador Marcos Rocha (sem partido), que Eyder tem como aliado não é das melhores, ele não terá uma missão das mais fáceis, caso seja candidato.

O ex-chefe de gabinete de Hildon, Breno Mendes (Avante), também é um nome novo, mas que vem trabalhando muito em busca de consolidar como pré-candidato. Nas eleições em 2018, Breno disputou tendo um bom resultado nas urnas. Corajoso e capaz de fazer o que for preciso, Breno é nome que pode surpreender nas urnas.

O ex-deputado federal e presidente regional do PRB, Lindomar Garçon recentemente lançou sua pré-candidatura a prefeito de Porto Velho. Garçon foi derrotado por Nazif em 2012 e sempre demonstrou intenção de ser prefeito de Porto Velho. Ele já foi prefeito em Candeias do Jamari, onde iniciou sua carreira política, que o levou até a Câmara Federal. É uma aposta.

A vereadora Cristiane Lopes (PP), por enquanto a única mulher a demonstrar interesse na disputa, poderá ser o fato novo na política da capital nas eleições deste ano. Ela está pré-determinada a enfrentar as urnas numa candidatura à prefeitura, mesmo sabendo que tem uma fácil reeleição à vereança.


O jovem jornalista Samuel Costa também poderá ser um fato novo na disputa e quiça surpreender muita gente. Em 2012, com apenas 21 anos, Samuel foi candidato a vereador e obteve 1.209 votos. Em seguida, em 2014, foi candidato a Deputado Estadual e era um dos favoritos em sua coligação, e perdeu por conta de uma notícia falsa, que foi desmentida pela própria Polícia Federal, que surgiu na época que acabou com sua eleição. No entanto, o quadro é novo e muitas coisas podem surgir.

O ex-secretário de agricultura do município, Leonel Bertolim, também confirmou que estará na disputa pela prefeitura, pelo PTB, partido do campeão de votos Professor Aleks Palitot.

O quadro atual da política à Prefeitura de Porto Velho é o apresentado. Certamente teremos mudanças até as convenções, que serão realizadas no período de 31 de agosto a 16 de setembro.

O texto é do Jornalista Waldir Costa e teve apenas alguns acréscimos.