Covid-19: Aumento de casos pode levar novamente ao fechamento do comércio em Porto Velho

24/07/2020 - 20:14 hs
Foto: Frank Nery

Tem muita gente assustada com o aumento dos casos do novo coronavírus em Rondônia, principalmente na capital, Porto Velho, nos últimos dias. Assustada e colocando a culpa na reabertura do comércio.

Na última quarta-feira, Rondônia bateu recorde e registrou 31 mortes em decorrência do novo coronavírus. Segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), houve ainda a confirmação de 2.302 diagnósticos a mais da Covid-19.

Em nota, a explicação dada pelo Governo, é a de que os dados estavam represados devido ao fato, de não terem sido divulgados no último final de semana, por problemas no sistema do Ministério da Saúde

Com o aumento dos casos e óbitos causados pela covid, lojistas temem um novo fechamento do comércio. Apesar dessa alta, a Fecomércio entende que os casos não têm nenhuma relação com o funcionamento dos estabelecimentos comerciais.

Os números preocupam, porém, a associação do crescimento rápido com a flexibilização das restrições que vigoravam desde de março não é correta para a Fecomércio.

O vice presidente Gladstone Frota disse que o comércio não é culpado pelo aumento nos casos da Covid-19 e pede uma providencia das autoridades para que não feche o comércio diante do aumento número de casos e óbitos.

“Realmente a gente vem acompanhando esses números e é preocupante. Mas o setor empresarial está preparado e esperamos que os números não aumentem e o comércio continue aberto”.

Para ele, o comércio é uma vítima, desde o primeiro decreto, que o comércio vem fechado, o índice só tem aumentando. “Esse aumento não vem do comércio”.

Para o advogado Itamar Ferreira, que assina a coluna Reticências Políticas, publicada semanalmente no Mais RO, a evolução da pandemia em Rondônia a partir do dia 06 de julho tem apresentado variações bruscas. Para ele, o principal motivo dessas oscilações é a falta de kits para exames PCR no LACEN. Em função disso, as amostras estavam sendo enviadas para Fiocruz-RJ e demora alguns dias para sair os resultados.

Para Itamar Ferreira, diante do cenário atual, de reabertura geral das atividades econômicas – tendo saído da Fase I diretamente para Fase III –, sem kits de exame PCR no LACEN para se ter dados atualizados de novos infectados/mortes e com a população completamente despreocupada e alheia às medidas de prevenção, a tendência será de um agravamento progressivo da tragédia pelo coronavírus, principalmente, nas próximas três semanas.

Porto Velho continua sendo a cidade com maior número de infectados: são 19.754 diagnósticos da doença e 514 óbitos, de acordo com o último boletim do Governo. Em seguida está Ariquemes (2.234), Guajará-Mirim (1.998) e Jaru (1.032).

Fonte: Mais RO