Ada e candidatos derrotados realizam protesto em frente ao TRE da capital pedindo recontagem dos votos; juiz recusa e aconselha candidatos a aprenderem com a derrota

Recontagem dos votos:

19/11/2020 - 19:28 hs

Na manhã desta quinta-feira (19) candidatos a vereador de Porto Velho de diversos partidos montaram um comitê para cobrar do Tribunal Regional Eleitoral – TRE/RO o extrato de votação de todas as sessões eleitorais do município.

De acordo com os candidatos eles foram lesados por falhas ocorridas no sistema de apuração dos votos e do cálculo do coeficiente eleitoral que acabou tirando a equidade entre os candidatos.

Segundo a vereadora e candidata a reeleição derrotada Ada Dantas, o comitê está cobrando uma apuração justa e não se trata de um movimento local já quem em outros estados do país existem candidatos cobrando a apuração dos votos.

“O que nós queremos aqui é organização, que o processo seja feito de uma forma limpa transparente e com a publicidade devida”, afirmou Ada Dantas.

De acordo com o candidato Moisés Cruz essa manifestação é um movimento legitimo garantido aos candidatos o direito de questionar o resultado da eleição, por estarem sentindo-se lesados.

“Isso aqui não é choro de derrotados, insatisfeitos. Cada candidato que não concorda com sua votação tem direito de vir aqui no TRE e questionar. Aqui são pessoas, cidadãos, pais de famílias, candidatos que só querem apurar melhor o resultado da eleição”, disse Moisés Cruz.


Em Vilhena, o juiz eleitoral, Vinícius Bovo de Albuquerque Cabral, acabou com a esperança de candidatos derrotados que queriam a anulação do pleito deste ano e a recontagem dos votos. Conforme mostrou o FOLHA DO SUL ON LINE (LEMBRE AQUI), o embasamento para o pedido foram: a demora na divulgação dos resultados e as notícias sobre ataques cibernéticos contra o sistema do TSE através do qual era feita a totalização dos votos. Em sua decisão, o magistrado classificou as alegações como “apenas ilações, desinformações propagadas na internet, desacompanhadas de qualquer embasamento legal ou fático”.

Ao negar o recurso, o juiz anotou: “Parece-me mais que, ao invés de aceitarem a derrota e com ela aprenderem, buscam desacreditar o trabalho sério, ético e profícuo realizado por esta Justiça Especializada”. Em outro trecho da sentença, ao lembrar que o empenho dos candidatos para agir agora contrasta com o desinteresse deles durante a apuração, quando os partidos poderiam ter escalado representantes para acompanhar o procedimento. “Este Juízo Eleitoral não recebeu nenhum pedido de credenciamento para fiscalização dos trabalhos da Junta. Repito: nenhum partido político ou candidato teve interesse em acompanhar os trabalhos de apuração e totalização dos votos, realizados no último dia 15”, lembrou Vinícius.
Mesmo entendendo que não houve qualquer ilegalidade na contagem dos votos, o juiz disponibilizou, para que os interessados façam suas próprias apurações, os Boletins de Urna, pelos quais nenhum deles demonstrou interesse antes de saber que haviam sido derrotados nas urnas.


Informações do Folha do Sul e Rondoniaovivo.

Confira nota do Tribunal Eleitoral de Rondônia:


O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, em resposta à manifestação ocorrida na manhã desta quinta-feira (19), em frente ao Fórum Eleitoral da Capital, presta os necessários esclarecimentos sobre a demora de aproximadamente 1h30m na totalização e, por consequente, a divulgação dos resultados oficiais do primeiro turno das eleições municipais 2020.
Segundo o TSE, o atraso médio de duas horas e trinta minutos na divulgação dos resultados das Eleições Municipais foi ocasionado por recurso de inteligência artificial existente em um otimizador do banco de dados Oracle, que garante a velocidade no processamento das informações.

Apesar disso, os cidadãos brasileiros tiveram acesso ao resultado das urnas em todo o país no mesmo dia da realização da votação, antes da meia-noite.

Ponto importante a ser destacado é o fato de que as totalizações para divulgação do resultado final são realizadas de maneira centralizada no Tribunal Superior Eleitoral, através do envio de informações pelos Regionais Eleitorais, não cabendo quaisquer providências referentes ao atraso na divulgação por estes.

O TRE-RO reforça que são livres as práticas de manifestações públicas, sendo um importante meio no exercício do controle externo popular da Administração Pública. Contudo, reafirma o seu posicionamento na confiabilidade do sistema eletrônico eleitoral.
Garantir a legitimidade da realização das eleições de forma célere e transparente é missão institucional que sempre marcou os trabalhos da Justiça Eleitoral em Rondônia.

Seção de Comunicação Social do TRE-RO