Aproximação de Cristiane Lopes com família Cassol gera desconfiança no eleitor

21/11/2020 - 18:32 hs

Que o segundo turno nas eleições municipais em Porto Velho deste ano está confuso e incerto, isso ninguém pode negar. Mas, o que o eleitor pode colocar na balança é quem está por trás de cada candidato e as alianças que possivelmente farão parte do 'centrão' da nova gestão.

De um lado, temos Hildon, o ex-promotor candidato a reeleição com Maurício Carvalho de vice. Nada que assuste ou que fuja do que já estamos esperando. Afinal, Hildon é candidato a reeleição e a gestão terá continuidade ao que já está acontecendo.


Do outro lado, temos Cristiane Lopes, candidata a prefeita que bateu na trave para Deputada Federal nas eleições em 2018, com quase 19 mil votos somente na capital.

Até aí, tudo bem. Mas, o que tem gerado desconfiança no eleitor é quem comanda o partido de Cristiane a nível estadual. A deputada federal Jaqueline Cassol e o ex-senador cassado de Rondônia, Ivo Cassol, o primeiro Senador na história condenado à prisão pelo STF desde a vigência da Constituição de 1988, ambos são os 'caciques' do partido.


Afinal, como será a composição da prefeitura em 2021, caso Cristiane saia vencedora. A família Cassol terá espaço na gestão? Esses e outros questionamentos, são os que deixam o eleitor com muita desconfiança.