Desembargador que humilhou guarda em Santos permanece no cargo e continua andando sem máscara na rua

Jornal registrou Eduardo Siqueira sem o item de proteção na orla da cidade; ele foi condenado a pagar R$ 20 mil por ter destratado guarda que o multou no ano passado

22/02/2021 - 11:13 hs

O desembargador Eduardo Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), foi flagrado neste sábado (13) sem máscara enquanto passeava na orla da praia em Santos, no litoral paulista. O momento foi registrado pela repórter fotográfica Vanessa Rodrigues, do jornal A Tribuna. A imagem mostra que outras pessoas próximas também não usavam o item de proteção.

Em julho do ano passado, Siqueira humilhou o guarda municipal de Santos Cícero Hilário Roza Neto quando este o autuou por andar na praia sem máscara. Na ação, que foi filmada, os guardas pedem que Siqueira coloque o item de proteção. Mas ele afirma que o decreto municipal que obriga o uso não tem força de lei e se recusa a colocar a máscara. Cícero então aplica a autuação. Siqueira faz um telefonema, que diz ser para Sergio Del Bel, então secretário de segurança de Santos e, desta forma, superior de Cícero, para relatar o caso. Chama Cícero de “analfabeto”, rasga a multa que lhe é aplicada e a joga na areia.

As cenas viralizaram e o caso ganhou repercussão nacional. Em janeiro deste ano, a Justiça de São Paulo condenou Siqueira a pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais ao GCM.

E, agora, o uso de máscaras em locais públicos passou a ser regra em todo o país. Na última sexta-feira (12), o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para derrubar de vez o veto de Jair Bolsonaro (sem partido) à obrigatoriedade de uso de máscaras em espaços públicos, estabelecida em lei aprovada na Câmara em junho do ano passado.

Veja a reportagem de A Tribuna com o flagrante aqui.