Cemitério da Candelária é invadido por grupos de pessoas

O local é patrimônio histórico e cultural e a área pertence a União

31/08/2021 - 20:37 hs

Um grupo de pessoas invadiu no último final de semana, a área do Cemitério da Candelária, utilizado para sepultar os operários estrangeiros mortos durante a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. O local fica a dois quilômetros do centro da cidade de Porto Velho, ao lado do Hospital da Candelária. A área pertence ao Patrimônio Histórico e Cultural.

Os invasores fizeram desmatamento ilegal numa área de mata nativa e ocupam parte cemitério. A liderança ainda não foi identificada e o local vem sendo chamado de Assentamento Novo Lar. Alguns barracos improvisados foram erguidos no lugar onde estão cerca de 5 mil corpos sepultados.

A Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (Asfam) já informou à Polícia Federal, Ministério Público Federal e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por ser área do patrimônio histórico e cultural. Para o presidente da Asfem, George Telles, essa invasão é ilegal e desrespeitosa à memória dos pioneiros que foram sepultados no local. “São pessoas que que deram a vida por essa cidade e não podemos tolerar essa invasão”, disse. Telles disse também que o local tem importância histórica e cultural e faz parte do roteiro de visitações turísticas.



Diário da Amazônia