Justiça nega liberdade provisória para blogueira rondoniense presa por estelionato na Paraíba

A defesa da blogueira e dos demais envolvidos alegaram que eles não tinham conhecimento dos atos ilícitos e que estavam na Paraíba apenas realizando 'passeios turísticos'; justiça negou

10/06/2021 - 13:45 hs

EUIDEAL - A jovem e outros suspeitos tiveram o pedido de liberdade indeferido pela 1° Vara Cível de Cabedelo-PB

Mesmo com a suspeita Emanuely Saraiva, a 'Manu Chique', e outros envolvidos tendo negado ter qualquer conhecimento sobre os ilícitos encontrados no bangalô onde estavam hospedados e alegado que fazia apenas uma semana que estavam em viagem turística, o Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba negou a liberdade provisória ou Habeas Corpus para a blogueira presa por estelionato em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa-PB. A jovem foi presa no mês passado junto a outros colegas sob a acusação de clonagem de cartões de crédito e falsificação de documentos.

O pedido de HC foi impetrado por sua defesa e aguardou alguns dias até ser indeferido. Policiais da delegacia de repressão a entorpecentes de João Pessoa estavam monitorando os jovens acusados de estelionato desde que chegaram ao estado da Paraíba. O grupo partiu de Porto Velho-RO, cidade de origem, com o destino as famosas praias do nordeste, onde pretendiam se instalar por algum tempo. De acordo com o processo em aberto 0802099- 22.20121.8.15.0731 da primeira vara cível de Cabedelo-PB, há fortes indícios de que mais de uma dezena de pessoas estejam envolvidos em crimes de estelionato, tráfico de entorpecentes e outros crimes. Eles vinham aproveitando uma vida de glamour com as falsificações, se hospedando em hotéis “pé na areia" de praias famosas da Paraíba e outros estados do Nordeste. Quando foram presos, a PC encontrou diversos celulares, cartões e documentos com alterações.
A jovem Emanuely ganhou destaque nas páginas policiais da imprensa paraibana e rondoniense por ser uma Influenciadora digital nas redes sociais, com milhares de seguidores e muitas fotos de ostentação por onde passava com seus “amigos” em viagens turísticas as custas do crime de falsificação.

Com o habeas corpus negado pela justiça para todos, Emanuely Saraiva e os outros suspeitos detidos irão permanecer trancados no presídio estadual aguardando o julgamento ou algum outro recurso que possa ser impetrado por seus advogados de defesa.

CONFIRA A DECISÃO ABAIXO:


LEIA MAIS SOBRE O CASO NO EUIDEAL: