Só 7 capitais estão preparadas para o 5G; Porto Velho é uma delas

Brasil é o primeiro país da América Latina com internet 5G

05/11/2021 - 14:38 hs

Há um dia do aguardado leilão do 5G — marcado para esta quinta-feira (4) — um levantamento realizado pela Conexis Brasil Digital, que representa as principais operadoras de telecomunicações do país, indica um dado alarmante: somente sete capitais estão preparadas para receber a tecnologia.

Vale lembrar que a oferta do 5G, que será disputada por quinze teles, está prevista para começar até o dia 31 de julho de 2022. Além de cumprir com a data, as empresas ressaltam que a oferta de um serviço de qualidade também será um dever de cada município.

Burocracia na instalação de antenas 

A pesquisa considera o texto da Lei Geral de Antenas (LGA) de 2015, que traz uma série de regras que facilitam a instalação de antenas para oferecer serviços de telecomunicações. O processo de liberação dessas antenas em cada município, o tempo de análise e a liberação dos pedidos feitos pelas companhias do segmento também foram considerados.

O resultado ruim também se deve ao fato de que muitos municípios impõem restrições a esses equipamentos através de leis sobre uso e ocupação do solo, o que resulta em queda na qualidade dos serviços, já que as antenas são cruciais para prover uma internet móvel estável e de qualidade.

O presidente do Conexis, Marcos Ferrari, afirma que as leis municipais devem se adaptar às regras da LGA: “Quanto mais célere o processo de avaliação dos pedidos de licença, mais rápido o 5G estará disponível para o município e para o consumidor”.

Capitais preparadas para o 5G

Ilustração de tecnologia 5G
Burocracia na instalação de antenas pode comprometer a qualidade e o sinal do 5G. Imagem: ShutterBestStudio/Shutterstock

Considerando a avaliação da entidade, por ora, as capitais prontas para o 5G são: Boa Vista, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Palmas, Porto Alegre e Porto Velho. Nessas cidades, a lei não impõe condições que afetem a qualidade para a prestação do serviço.

Segundo Ferrari, a capital gaúcha é referência nos planos de implementação do 5G em virtude do seu processo de emissão de licenças para antenas “totalmente informatizado”. Sem qualquer intervenção humana, a licença é liberada uma hora após o pedido. Antes, cada pedido levava até dois anos para sair do papel, destacou o executivo.

Fonte: Via: Uol